Tipologia de acidentes elétricos no Brasil

Os acidentes elétricos no Brasil ainda são maioria em inúmeros setores de trabalho. O país gasta milhões e reais, até bilhões, por ano, em decorrência desses acidentes. Apesar de se ter Normas Regulamentadoras acerca de como se deve proceder com segurança nas atividade elétricas, ainda não se é suficiente para proteger os trabalhadores. Com isso, apontar o perfil dos acidentes elétricos, como também as falhas mais comuns, torna-se uma ferramenta de orientação na prevenção de acidentes. Instituições como o Instituto Nacional de Seguridade Social – INSS, Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade – ABRACOPEL, Ministério do Trabalho e Previdência Social – MTPS possuem registros de acidentes elétricos. Após análises, conclui-se que as maiores vítimas são homens entre 21 e 30 anos, com grau de escolaridade Ensino Médio Completo – EMC, que trabalham na região Nordeste do Brasil e com atividades de grau de risco três, e sofrem choques elétricos. A cada acidente não fatal ocorrem três acidentes fatais. Conclui-se também, que executar atividade laborais sem a análise de riscos, planejamento e ordens de serviço, trabalhador autorizado, a não desenergização dos setores ou equipamentos e a falta do prontuário de instalações elétricas nos estabelecimentos são os fatores que mais contribuem para acidentes elétricos no Brasil.

Clique na imagem abaixo para ler mais sobre o novo artigo técnico da ABRACOPEL!


Voltar