Guia de Aplicação – Segurança em instalações elétricas não residenciais (1 de 3)

Publicamos a seguir o Guia de Aplicação – Segurança em Instalações elétricas não residenciais publicado pelo Procobre, que foi dividido em 3 Artigos Técnicos pelo nosso MC Edson Martinho. Leia o primeiro e fique ligado para não perder os próximos.

RESUMO

Estatísticas mundiais relacionadas aos acidentes com a eletricidade indicam que milhares de pessoas são feridas ou mortas todos os anos. Profissionais da eletricidade que trabalham instalando, reparando ou conservando instalações elétricas são, comprovadamente, as pessoas com maior probabilidade de sofrer um acidente com a eletricidade. Entres esses, os eletricistas são os mais vulneráveis. O contato com condutores ou outros equipamentos elétricos é a causa mais comum de um acidente envolvendo a eletricidade.

Alcançar um número de zero acidentes causados pela eletricidade irá requerer uma instalação elétrica segura, mantida adequadamente durante toda a sua vida útil e uma ênfase nas boas condições das medidas de proteção contra o choque elétrico e queimaduras. Isto, junto com um treinamento adequado dos empregados, consistirá num longo caminho até alcançar este objetivo.

 

INTRODUÇÃO

A vida sem a eletricidade é inimaginável, não apenas em nossas atividades domésticas, mas também em ambientes não residenciais, como em edificações industriais, comerciais, prédios de escritórios, instituições educacionais etc.

Nós utilizamos a eletricidade em, virtualmente, todos os aspectos da nossa vida diária. Nós crescemos ao mesmo tempo muito dependentes e complacentes, tanto que raramente paramos e pensamos de alguma forma sobre a eletricidade. Mas não devemos esquecer que estamos lidando com uma forma de energia potencialmente perigosa.

“Lembrem-se que eletricidade pode matar. Diferente de outras fontes de riscos, você não pode ver, sentir, ouvir ou cheirar a eletricidade, o que impede o prévio alerta de perigo”. (UK Health and Safety Executive) ¹

Aqui está uma lembrança de alguns destes bem conhecidos perigos:

  • Contração muscular: Algumas vezes torna-se impossível soltar ferramentas ou equipamentos energizados, levando a um acidente fatal. Mesmo em correntes com intensidade inferior àquela considerada segura, pode ocorrer uma sensação de choque que, embora não excessivamente dolorosa, pode levar uma pessoa a reagir sem pensar. Em um caso, um homem tocou levemente um objeto metálico que inesperadamente se tornou energizado. Ele afastou-se, perdeu o equilíbrio e caiu, o que ocasionou a sua morte.
  • Fibrilação ventricular: Isto corresponde a contração rápida e irregular das fibras musculares do coração, causada pela disrupção dos impulsos nervosos. Neste caso, a morte pode ocorrer muito rapidamente.
  • Eletrocussão: Este é o termo geral para morte causada pela passagem da eletricidade através do corpo (morte causada por um choque elétrico).
  • Choque (elétrico): Esta é a estimulação física de um trauma que ocorre pela passagem da corrente elétrica através do corpo. Os sintomas do choque elétrico incluem uma leve sensação de formigamento, violentas contrações musculares, arritmias cardíacas, e/ou danos nos tecidos.
  • Circuito do choque: Isto corresponde a passagem da corrente elétrica através do caminho mais crítico no corpo humano. Se o circuito do choque envolve órgãos críticos é provável a ocorrência de traumas severos. A distribuição da corrente elétrica através do corpo é uma função da resistência dos vários caminhos através dos quais a corrente flui.
  • Arco elétrico: Esta é a liberação de energia na forma de calor, luz e som, causada pelo rompimento de um isolamento elétrico e subsequente descarga através dele, como ocorre, por exemplo, no ar.
  • Energia de um arco elétrico: A quantidade total de energia liberada pela rede elétrica através do arco. Esta energia será manifestada em muitas formas, incluindo luz, calor e energia mecânica (pressão).
  • Energia incidente de um arco: Esta é a quantidade de energia liberada por um arco para a roupa ou o corpo de um indivíduo. A quantidade de energia será um pouco menor do que a energia do arco, baseada em fatores presentes no local de trabalho.
  • Explosão (elétrica): Esta explosão é causada pela rápida expansão do ar ou de um material vaporizado que alcança um estado de superaquecimento devido a presença de um arco elétrico.
  • Queimadura: Queimaduras causadas pela corrente elétrica são quase sempre de terceiro grau, porque as queimaduras começam no interior do corpo e se movem para a sua periferia. Isto resulta na destruição do centro de crescimento dos tecidos. Queimaduras causadas por corrente elétrica podem ser especialmente severas quando envolverem órgãos internos vitais.
  • Fogo de origem elétrica: Aquecimento excessivo causado por um arco ou centelhamento.
  • Efeitos mecânicos do curto circuito: Se as correntes em dois condutores adjacentes estão fluindo em direções opostas, os condutores tentarão se separar um do outro.

Antes que exista uma condição de trabalho eletricamente segura, os trabalhadores estarão expostos de diferentes maneiras aos riscos associados a energia elétrica:

  • Equipamentos elétricos, dispositivos e componentes têm um determinado tempo de vida. Isto significa que os dispositivos, por vezes, apresentem um mau funcionamento. Quando ocorrer uma falha, espera-se que um profissional da área elétrica identifique o problema, o repare e retorne o equipamento ao serviço normal, colocando-se, o profissional, durante este serviço, em algum grau de risco.
  • Os equipamentos elétricos devem ser mantidos adequadamente para proporcionar uma vida útil normal ou prolongada. Embora a energia elétrica seja, geralmente, removida antes que um trabalhador inicie um procedimento de manutenção, essas tarefas geralmente são executadas enquanto a fonte de eletricidade é energizada.
  • Equipamentos e circuitos são às vezes modificados para adicionar novos dispositivos ou circuitos. Funcionários temporários podem não estar cientes de tais modificações e, sem saber, devem trabalhar em um ambiente que inclua a exposição a circuitos elétricos e componentes energizados. Os consultores e prestadores de serviços frequentemente estão expostos a equipamentos e circuitos elétricos energizados.
  • Quando existe um problema que faça com que um equipamento funcione de maneira anormal, um trabalhador poderá abrir uma porta ou remover uma tampa, expondo um condutor ou componente elétrico energizado. Em muitos casos, o trabalhador pode solucionar o problema enquanto o circuito está ou é energizado. Tentativas de adicionar componentes e condutores podem ser feitas enquanto um equipamento ou partes dele permanecem energizados.
  • Depois de corrigir um problema, os profissionais da área elétrica às vezes inadvertidamente criam outras condições perigosas. Isso pode ocorrer devido a algo tão simples como deixar a porta do equipamento entreaberta, não fechar todas as travas, substituir as tampas com um número mínimo de parafusos ou remover dispositivos que vedavam áreas expostas.

A seguir estão alguns exemplos de acidentes ocorridos recentemente:

  • Um eletricista teve que cortar um cabo que deveria ser substituído. Ele não verificou corretamente se estava cortando o cabo correto. O cabo sendo cortado tinha parte de seu isolamento danificado. Ele estava sentado em uma parte condutora que estava conectada à terra. Quando ele cortou o primeiro cabo, tocou numa das fases e morreu instantaneamente.
  • Ao perfurar um poço para fazer uma conexão, um trabalhador tocou um cabo de alta tensão com seu martelo pneumático. O arco resultante causou queimaduras graves nas suas mãos e rosto.

Infelizmente, esta lista poderia continuar por muitas páginas. Além do sofrimento óbvio que tais acidentes podem causar, eles também colocam em perigo o negócio do proprietário da edificação. Se a instalação elétrica não foi instalada e mantida adequadamente, as companhias de seguro se recusarão a pagar a indenização solicitada.

Sabe-se que um papel importante na origem de incêndios em edifícios e outras estruturas é desempenhado por falhas elétricas. Incêndios de origem elétrica podem causar danos enormes e até mesmo a destruição total da propriedade. As falhas elétricas causam severas forças eletromecânicas, afetando o isolamento e danificando os equipamentos e geralmente levando a reparos e paralisações. Portanto, é de suma importância que as instalações elétricas e seus equipamentos sejam construídos, montados, operados e mantidos com a maior segurança possível. Da mesma forma, eles devem permanecer os mais seguro possíveis durante toda a sua vida. Isso pode ser melhor assegurado por inspeções regulares e por seguir os procedimentos de teste recomendados pelas normas para cabeamento elétrico aplicáveis.

Este documento destina-se a abordar a importância da segurança elétrica em instalações não residenciais, mas é óbvio que a segurança elétrica em instalações residenciais também é de extrema importância.


Autor: Paul de Potter. 

Edição e Revisão (inglês): Bruno de Wachter, Noel Montrucchio (atualização para o inglês)

Revisão de conteúdo: Manas Kundu (2012), Paul Waide (2012), Mike Hagen (2016)


Voltar