Passagem de corrente pelo corpo humano – Parte 3 | TECNOFLIX

O limiar de “fibrilação ventricular” depende de vários fatores próprios de cada indivíduo, assim como parâmetros elétricos (duração e caminho da corrente, tipo de corrente CA ou CC, etc.).

No caso de correntes alternadas de 50 e 60 Hz, há uma considerável redução neste limiar de fibrilação quando a corrente circula por mais de um ciclo cardíaco. Nesses casos, os músculos cardíacos começam a vibrar muito rapidamente e o resultado é que o coração não é mais capaz de bombear sangue para o organismo, reduzindo a pressão arterial para zero, provocando desmaio e parada respiratória, quase sempre fatal.

Correntes da ordem de 30 mA, em 50/60 Hz, já podem provocar fibrilação ventricular.

Clique na imagem abaixo para assistir ao vídeo!


Voltar