QUATRO dicas para evitar acidentes com curto circuito EM CASA

Mortes em 2015 cresceram mais de 60% por causa de descuidos com a rede elétrica, segundo Abracopel; Nexans orienta manutenção e ações preventivas para evitar consequências graves.

O número de acidentes causados por curto circuito no Brasil cresceu quase 50% em 2015, um total de 441 casos de incêndio contra 295 registrados no ano anterior. Os dados são da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), e revelam também um salto de mais de 60% nos casos de mortes causadas por esse tipo de acidente. No país, a região Sudeste é a campeã do ranking de acidentes por curto circuito, representando 28% do total, seguida pela região Nordeste, com 25% dos casos.

Segundo o Eng. Sidnei Ueda, Gerente de Aplicação de Produto da Nexans Brasil, entre as principais causas de curto circuito estão o envelhecimento da rede elétrica, que muitas vezes, por ser antiga, carece de manutenção, e o uso errado das tomadas de eletricidade, que se sobrecarregam devido ao número excessivo de equipamentos ligados a ela.

Para isso, Ueda lista quatro dicas essenciais para evitar que acidentes com curto circuito cresçam ainda mais no país. Veja:

  • Excesso de equipamentos? Não

Cena muito comum em escritórios e casas com poucos pontos de acesso à eletricidade é o acúmulo de aparelhos eletrônicos conectados na mesma tomada que representam um perigo constate. Segundo Ueda, essa ação pode gerar a queima dos fios/cabos elétricos ou, em casos mais graves, até um incêndio. As consequências são ainda mais acentuadas quando as cargas são pesadas, como ferro de passar e máquinas de lavar roupas, aquecedores elétricos, etc.

O engenheiro orienta a instalação de novos pontos de tomadas na residência, sempre seguindo a orientação de um profissional do setor elétrico. “Ao construir uma casa, já deixe claras as suas intenções para o engenheiro e quantas tomadas serão necessárias. Verifique a voltagem dos aparelhos que possui e onde eles ficarão instalados. Em caso de residências já prontas, solicite a orientação de um eletricista para ver quais os melhores pontos para abertura de novas tomadas”.

  • Instalação clandestina: acidente na certa

Para evitar pagar as tarifas das concessionárias de energia, habitantes de grandes cidades fazem instalações clandestinas ligadas diretamente aos fios/cabos elétricos dos postes nas ruas. Os famosos “gatos”, além de não entregarem uma energia completa e de qualidade, podem causar danos não somente a uma residência, mas a todas que estão conectadas nesta rede. Esta é uma condição ilegal e de alto risco para toda a comunidade nas proximidades.

  • Cabos descobertos ou mal cuidados: evite

Ao encontrar um cabo de energia descoberto ou com a isolação em más condições, substitua-o imediatamente. Ueda explica que isso pode causar choques, curto circuito e representa um perigo de acidente grave.

  • Fusíveis e Disjuntores queimando e desarmando continuamente? Atenção

Fusíveis e disjuntores são uma proteção da rede elétrica e quando cargas acima do limite de corrente (amperagem) projetado são ligadas nas tomadas de eletricidade ou na rede elétrica, podem ocasionar frequentemente a queima de fusíveis e desarme de disjuntores. Há que se verificar as causas com um profissional qualificado a fim de evitar as consequências mais graves. “Nunca substitua os fusíveis ou disjuntores para os de maior capacidade. Isto poderá levar a um curto circuito e incêndios na instalação elétrica”.


Voltar