Precificar Mão de Obra Ainda é Desafio para Profissional

 Dando sequencia à matéria da semana passada, sobre a pesquisa realizada pelo Everton Moraes da Sala da Elétrica (clique para ler), hoje iremos explorar outros dados coletados. Recentemente, o Everton realizou uma pesquisa com milhares de profissionais da área da elétrica que trouxe dados importantes para conhecermos melhor o panorama da profissão.

 

Em resposta à pergunta “Quando você constrói o orçamento, qual a sua forma de realizar a precificação da sua mão de obra?” mais de 34% dos eletricistas afirmou não ter um padrão, contra 27% que afirma calcular por pontos, 20% por hora e 12% afirmou utilizar outros métodos. Esse dado preocupa pois, sem saber como cobrar, o eletricista pode estar saindo no prejuízo sem se dar conta. “O valor a cobrar precisa ser calculado em cima de uma série de fatores, como gastos fixos e salário desejado. É importante cobrar o justo para que o profissional não saia no prejuízo.” explica Edson Martinho, presidente da ABRACOPEL e parceiro do Programa Eletricista Consciente.

 

Em outra questão, ao ser perguntado: “Normalmente, nos serviços que você executa, você é responsável pela compra de materiais?”, 26% afirmaram que sim, 27% afirmaram que acompanham, 38% afirmou as vezes acompanhar e apenas 3,9% disse não realizar esse serviço. Esse dado é importante para termos noção melhor do poder de decisão do profissional na compra da lista de materiais. Assim, podemos planejar melhor as ações e matérias voltadas aos eletricistas.

Voltar