Revisão da NBR 5419 consumiu anos de um trabalho duro

A revisão foi cheia de desafios e detalhes, mas, finalmente chegou ao fim no dia 22 de maio, com a publicação, por parte da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), da sua nova versão. Mais completo e complexo, o documento também é bem mais extenso, somando 309 páginas, divididas entre quatro partes.

O objetivo maior é elevar o nível de proteção das estruturas contra as descargas atmosféricas, que não são poucas no Brasil – por ano, o País é atingido por cerca de 50 milhões de raios.

O projeto de revisão, que teve início em 2005, foi tocado pela Comissão de Estudos CE-03:64.10 – Proteção contra descargas atmosféricas, do Comitê Brasileiro de Eletricidade, Eletrônica, Iluminação e Telecomunicações (Cobei). E ele teve como base a norma internacional IEC 62305-1 a 4:2010. Na entrevista que segue, Hélio Sueta, que é secretário dessa Comissão de Estudos, faz um resumo dos trabalhos em torno da revisão, fala um pouco sobre as quatro partes do documento e ressalta sua importância para elevar o nível de segurança das nossas edificações. Sueta, que também é chefe-adjunto do Instituto de Energia e Ambiente da USP, disse ainda que o novo documento demandará algum tempo e muita dedicação para ser bem entendido e assimilado pelos profissionais da área.

Confira a entrevista na íntegra com o Hélio Sueta: http://goo.gl/tM1e08

imagem1


Voltar