Choque elétrico faz mal?

O choque elétrico é polêmico quando falamos, por exemplo, que 110 Volts não pode levar uma pessoa a óbito.

No popular ”um choquinho não faz mal” só serve para acordar a pessoa que o tomou. Ou então se diz “um choque de 110V não tem perigo, o perigoso é o choque 220V”.

Parece que não, mas esta é uma das crenças populares mais fortes em nosso país e acabam levando inúmeras pessoas a óbito (em 2014 foram 627 mortes – fonte ABRACOPEL). Achar que um ”choquinho” de 110 Volts não mata é algo muito perigoso, pois na realidade valores acima de 50 Volts em áreas secas já são perigosos.

Veja a seguir a diferença de um ”choquinho” e um ”chocão”: o choque elétrico se dá pela diferença de potencial entre dois pontos.

No caso da maioria dos choques elétricos que conhecemos, essa diferença de potencial está entre uma estrutura metálica energizada por um determinado potencial (pode ser 110V, 220V ou qualquer outra tensão) e a terra, que referimos como “Zero”. Esta diferença causa a movimentação de elétrons pelo condutor (no caso, o corpo humano) transferindo os elétrons de um potencial para outro. Esta movimentação de elétrons é chamada de corrente elétrica e depende da resistência do corpo que a conduz.

Um estudo realizado pela IEC (Comissão Internacional de Eletrotécnica) mostrou que uma corrente de 30mA passando pelo coração de um ser humano pode causar parada cardíaca e levar a pessoa à morte (observe que este valor é 1500 vezes menor que a corrente que passa por um chuveiro elétrico). Se fizermos um exercício simples em que 110V aplicado a um corpo humano com resistência aparente de 2500 ohms (unidade de medida da resistência) veremos que por este corpo pode passar uma corrente de 44mA, ou seja, maior que o valor estimado como limite do corpo para um choque elétrico. Neste caso, um choque 110V é também perigoso e pode matar.

”Choquinho“ ou ”chocão”?

Ambos são um perigo para os usuários e essa condição deve ser eliminada de imediato. Se você tem na sua casa algum equipamento que esteja dando um choquinho, desligue-o imediatamente e peça o conserto urgente. Verifique também a instalação elétrica, pois a instalação não deveria permitir que um equipamento com defeito desta natureza continuasse energizado. A instalação de um DR já pode ser o suficiente para reduzir estes efeitos.

Contrate sempre profissionais qualificados e faça a revisão da instalação elétrica a cada cinco anos, pelo menos. Não se arrisque. Eletricidade é coisa séria e pode matar.

Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, palestrante e colunista.


Voltar