Cuidados com a instalação elétrica

A eletricidade é um bem imprescindível e praticamente impossível pensar a humanidade atual sem a energia elétrica. Praticamente tudo o que fazemos hoje depende da eletricidade: o computador, o celular, as informações, o refrigerador, a iluminação, praticamente tudo depende da energia elétrica.

A seguir algumas perguntas para você refletir:

  • Quantas vezes você, usuário, se preocupou com a instalação elétrica da sua casa, escritório, fábrica, loja, entre outros?
  • Você tem o hábito de chamar periodicamente um profissional para fazer uma vistoria e apontar itens a serem verificados ou substituídos de forma preventiva?
  • Como a maioria das pessoas, você só se lembra do profissional eletricista quando acontece algo de errado na sua instalação?
  • Somente chama um eletricista para fazer uma intervenção corretiva, não é mesmo? Isso porque já ocorreu o problema e você precisa que alguém o salve, resolvendo o problema.

Essas práticas, infelizmente, são culturais e precisam ser mudada, mas leva tempo.

Por outro lado, vamos pensar na construção da instalação elétrica:

  • Quando você contrata uma reforma, ou mesmo construção, de uma instalação elétrica, você contrata um projeto elétrico elaborado por um profissional habilitado como um Engenheiro Eletricista ou Técnico em Eletrotécnica?
  • Exige que a equipe que executará o serviço siga as normas de segurança para trabalho em locais energizados, como a NR-10, do Ministério do Trabalho e Emprego?
  • E por fim, exige que este profissional faça uma verificação final de acordo com o previsto em norma técnica, como a ABNT NBR 5410?

Pois é, todos esses itens fazem parte de um conjunto de medidas que levam você a garantir uma instalação elétrica segura, durável e que possa atender a todos com segurança. O investimento que se faz em todos os itens citados tem retorno garantido pois, como citei no início do artigo, a eletricidade é um bem imprescindível e a sua ausência, seja pelo tempo que for, pode causar danos irreversíveis. Pense nisso na sua próxima contratação de serviço para eletricidade, ou mesmo antes, para uma verificação da instalação, e estabeleça um cronograma periódico de verificações para evitar transtornos.

Lembre-se: Uma instalação elétrica bem cuidada é uma instalação elétrica que trará benefícios a todos.

Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, palestrante e colunista.

Dimensionamento correto dos condutores

“Quando devo usar fio mais grosso e quando posso usar fio mais fino?” O fio mais grosso é caro, por isso eu uso o mais fino”.

Estas são algumas das perguntas que muitos de vocês devem fazer sempre que deparam com uma instalação elétrica nova ou uma reforma da instalação elétrica pela frente, não é mesmo?

Um condutor de uma determinada seção tem a capacidade de conduzir uma determinada corrente em determinada condição de instalação. Por exemplo, um condutor com seção de 1,5mm2 em PVC poderá conduzir uma corrente de até 15 Amperes se instalado em um eletroduto embutido, com um único circuito, em uma temperatura de até 40 graus Celsius, por um percurso não maior que 20 metros (estes valores são hipotéticos e servem apenas para exemplificar). Se, nessa mesma condição, instalarmos mais dois circuitos no mesmo eletroduto, a condição vai mudar e o condutor passará a ser capaz de conduzir somente 13 Amperes. Isso se dá pela influência de temperatura e dissipação dos demais condutores, ou seja, quando você instala mais dois circuitos no mesmo eletroduto, a temperatura ambiente do eletroduto subirá e, então, o isolamento precisará de mais folga para lidar com isso. Se ao invés de passar 13 Amperes o circuito passar 15, como na condição anterior, ele poderá esquentar e provavelmente perderá seu isolamento, podendo colocar em risco sua instalação, iniciando um incêndio.

Este é um dos motivos em que o dimensionamento correto de um condutor deve ser realizado em todas as instalações pois, nesse dimensionamento, é realizado um estudo de todos os parâmetros necessários para que a seção (ou bitola como é conhecida) seja adequada para a condição e não coloque em risco a instalação elétrica e a vida dos usuários.

Outro benefício que se tem no dimensionamento correto é em relação à economia de energia elétrica, que é diminuída à medida que o dimensionamento do condutor não esteja correto, e este é um ganho que não podemos deixar de obter, certo?

Veja as dicas:

  • Não reduza a seção do condutor sem antes contratar um profissional habilitado para elaborar o projeto e definir a seção adequada;
  • Não aumente a corrente que passa por um condutor, instalando mais equipamentos na mesma tomada, pois ele pode aquecer e iniciar um incêndio;
  • Use, sempre que possível, uma seção maior do que a recomendada, pois assim você estará com sua instalação segura e ainda de quebra economiza energia.

Lembre-se: Um condutor bem dimensionado é garantia de segurança para todos.

Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, palestrante e colunista.

Instalação elétrica: descobrindo a vida útil

Muitas coisas têm seu prazo de validade e, com as instalações elétricas, isso não é diferente pois ela é composta de dispositivos que se desgastam ao longo da sua utilização e que, ao chegar ao final da sua vida útil, devem passar por uma manutenção e substituição.

Tomadas e interruptores têm sua vida útil estimada em manobras, ou seja, quantas vezes você aciona um interruptor ou insere e retira um equipamento da tomada. Da mesma forma, o Disjuntor e o DR, que têm sua vida útil estimada em manobras e atuações. Porém, eles também têm sua vida útil reduzida na medida em que os valores limites são atingidos como, por exemplo, a corrente de curto circuito no disjuntor.

Vida útil do condutor

Estimada em até 30 anos, se utilizado dentro dos parâmetros. Porém, esse componente sofre uma redução drástica de vida útil quando a sua utilização é submetida a situações de limite.

Imagine que um condutor de uma determinada seção (Bitola) foi produzido para suportar uma corrente de 30 Amperes, em uma determinada condição de instalação. Esse condutor também suportaria uma corrente de curto circuito de 2 mil Amperes (2Ka) por 100 micro segundos (todos os valores são fictícios e usados somente para exemplo), mas, ao longo do tempo ele foi submetido, várias vezes, a uma sobrecarga de 35 Amperes com durações que variaram de 2 a 5 minutos sem que o dispositivo de proteção (Disjuntor) atuasse, também sofreu alguns curtos-circuitos com valores de 5 mil amperes (5Ka), por períodos de 80 microssegundos.

Essas condições causam danos ao condutor, normalmente danificando a sua isolação, deixando-o vulnerável. Sua vida útil diminuiu e esse valor não pode ser mais estimado. Nesse caso, o certo a fazer é substituir o condutor, redimensionando-o para a nova realidade das cargas que provavelmente será com seção maior para suportar as sobrecargas impostas pela carga e ampliações futuras. Da mesma forma, os dispositivos de proteção deverão ser recalculados para essa nova situação e a avaliação dos demais componentes deverá ser realizada em conjunto.

Quer aumentar a vida útil da sua instalação elétrica? Faça uma revisão a cada cinco anos, no mínimo.

Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, palestrante e colunista.

Fio terra: segurança na instalação elétrica

Aquele fio de cor verde ou verde e amarela tem uma função muito importante na segurança de sua instalação elétrica. O condutor de proteção, como é conhecido tecnicamente, participa na atuação do DR – Dispositivo Diferencial Residual (veja sobre isso aqui) que atua desligando a energia do circuito elétrico seccionando-o automaticamente, na ocorrência de uma corrente de fuga que pode ser perigosa para a saúde das pessoas.

Também é o caminho para o surto, quando o DPS – Dispositivo de Proteção contra Surtos de tensão (ver mais aqui), que é um dispositivo que protege seus equipamentos eletrônicos, está instalado. O “fio terra” ainda participa de outros pontos de segurança da sua instalação elétrica minimizando efeitos de choque elétrico ou evitando a ocorrência de arcos elétricos (faíscas) que podem gerar incêndios.

Uma instalação elétrica deve ter sempre o “fio terra” instalado em todas as tomadas ou pontos de alimentação elétrica, como preconiza a norma NBR 5410, norma que rege as instalações elétricas de baixa tensão, ou seja, as instalações residenciais, prediais, comerciais e até industriais. A presença do “fio terra” em todas as tomadas ou pontos de alimentação, independente do equipamento que será ligado, é obrigatória pois a instalação deve ser a responsável por prover a segurança para quem a utiliza. As tomadas também devem ser com três polos, onde o “fio terra” disponível deve ser ligado ao pino do meio.

Uma comparação rápida com um carro: O “fio terra” seria o cinto de segurança que ajuda na segurança do motorista e dos passageiros.

É fato que só a presença do “fio terra” não garante que a instalação elétrica esteja segura, pois é preciso que vários dispositivos estejam instalados e, principalmente, que a revisão da instalação elétrica seja realizada por um profissional qualificado.

O “fio terra” precisa de um sistema de aterramento adequado e corretamente instalado para funcionar. Portanto, ao verificar sua instalação elétrica, contrate um profissional qualificado e realize um projeto elétrico com a indicação do correto sistema de aterramento para sua edificação. Faça uma revisão periódica da sua instalação elétrica e garanta segurança para você e seus familiares.

Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, palestrante e colunista.

Proteção contra surtos de tensão em equipamentos eletrônicos

A facilidade de crédito dos últimos anos trouxe o acesso aos tão sonhados equipamentos eletrônicos a praticamente todos os brasileiros. A Copa do Mundo, em 2014, movimentou o mercado de televisores de última geração, home theater, sistemas de som, computadores e tantos outros equipamentos. O mesmo acontecerá em 2016 com as Olimpíadas.

Com essa demanda, a sua instalação elétrica está preparada para receber todos esses equipamentos?

Na maioria dos casos a resposta é: ”não está” ou ”não sei se está”, pois essa é uma prática do brasileiro, ou seja, não verificar sua instalação elétrica periodicamente. Por isso o tema verificação periódica da instalação elétrica está sempre em evidência por aqui.

Então vamos nos ater à proteção dos seus equipamentos eletrônicos, aqueles que você adquiriu com o seu trabalho.

Comecemos com uma nova pergunta: você já teve algum equipamento eletrônico danificado durante tempestades com raios ou mesmo quando houve uma interrupção de energia elétrica? Se não foi vítima desta condição, certamente conhece alguém que já foi.

Vale informar que nos dois casos citados pode haver uma alteração na energia conhecida como surto de tensão, que é um aumento significativo da tensão (voltagem) em um curto espaço de tempo, que pode danificar aparelhos eletrônicos. A descarga atmosférica ou o raio, como conhecemos, pode causar este surto, mesmo tendo ocorrido longe da sua instalação, pois ele pode vir pela rede da sua distribuidora de energia elétrica.

Mas como eu posso me proteger? Há um dispositivo no mercado, conhecido como DPS – Dispositivo de Proteção contra Surtos de Tensão – que desvia esse surto para a terra quando ocorre, não permite que ele chegue até a sua instalação e, consequentemente, aos seus equipamentos, preservando-os. A instalação desse dispositivo requer um conhecimento mais aprofundado de uma instalação elétrica. Portanto, só pode ser realizado por um profissional qualificado. Porém, o benefício é enorme, já que um equipamento danificado pode causar um transtorno muito grande.

Por outro lado, a presença desse dispositivo em uma instalação elétrica predial está previsto desde abril de 2005, quando foi publicada a norma técnica NBR5410/2004. Esta norma rege as instalações elétricas de baixa tensão, ou seja, instalações elétricas prediais. Nela, há a obrigatoriedade da instalação de dispositivos de proteção contra surto em todas as instalações de baixa tensão como forma de proteção. Se sua instalação foi construída após essa data, verifique se o DPS está instalado e verifique se está protegendo sua instalação, contatando um profissional para isso. Se a sua instalação é anterior a essa data, contrate já um projeto e a instalação deste dispositivo para proteger sua instalação.

Edson Martinho é Engenheiro Eletricista, palestrante e colunista.